A Adega Ponte da Barca, inserida na sub-região do Lima, tem a sua área de produção nos concelhos de Ponte da Barca e Arcos de Valdevez.

A sub-região do Lima integra os concelhos de Ponte da Barca, Arcos de Valdevez, Viana do Castelo e Ponte de Lima. Em termos de amplitudes térmicas a sub-região do Lima está numa posição intermédia relativamente às restantes sub-regiões, no entanto, é onde a precipitação atinge valores mais altos. A altitude a que a vinha se encontra plantada é variável e aumenta do litoral para o interior, onde o relevo também é mais irregular, originando alguns microclimas no interior do vale do Lima, existindo por vezes referências a baixo Lima e alto Lima. Os solos são férteis e em maioria são de origem granítica, existindo uma faixa de solos de origem xistosa.

Nesta sub-região, onde a casta branca Loureiro e a casta tinta Vinhão atingem a sua plenitude, os vinhos verdes assumem características únicas, destacando-se. Os vinhos verdes brancos aqui produzidos assumem-se como bastante aromáticos, elegantes e minerais. Os vinhos verdes tintos apresentam maior potencial nesta sub-região devido às condições climáticas que condicionam a maturação.

Na sua área de produção, a Adega Ponte da Barca é recortada por três vales, cuja denominação se deve aos rios que os atravessam: rio Lima, rio Vez e rio Vade.

Vale do Rio Lima
O Vale do rio Lima é o território de excelência para a produção de Vinhos Verdes da casta Loureiro e situa-se entre os concelhos de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca. Com uma enorme influência dos ventos marítimos do atlântico, devido a sua proximidade do mar (cerca de 40 Km), solos graníticos e férteis, com elevados níveis de precipitação durante o período de crescimento e temperaturas elevadas com índices significativos de humidade durante o período de maturação, faz com os seus vinhos se destaquem por serem frutados, de moderada graduação alcoólica, com um aroma delicado, proporcionando mineralidade e frescura. As condições naturais deste vale são ideais para a produção de excelentes Vinhos Verdes brancos, assim como espumantes e aguardentes de Vinho Verde.

Vale do Rio Vez
Atravessado pelo rio Vez, afluente do rio Lima, nasce na serra do Soajo, a cerca de 1.250 metros de altitude, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês. Localizado em Arcos de Valdevez, este vale possui solos férteis de origem granítica, conferindo aos vinhos características únicas, nomeadamente, frescura e componentes aromáticas resultado da maturação em altitude e da sua protecção montanhosa dos ventos marítimos atlânticos, proporcionando uma boa estrutura sobretudo nos vinhos brancos aí produzidos. Castas como Alvarinho, Trajadura, Arinto e Espadeiro destacam-se neste vale, os vinhos produzidos a partir destas castas resultam mais frescos, elegantes, equilibrados e com boa estrutura. Uma maior amplitude térmica durante a maturação, dias quentes e noites frias e secas, sobretudo na ultima fase da maturação, são fundamentais para a estabilização da cor, atrasando a oxidação, e atribuindo-lhes frescura e acidez.

Vale do Rio Vade
O rio Vade nasce no concelho de Vila Verde e percorre grande parte do território de Ponte da Barca, destacando-se por ser um vale apertado e de elevada densidade vegetativa, é neste vale, granítico, húmido e com elevada amplitude térmica, que se proporcionam condições excelentes e de primazia para a obtenção de uvas de características únicas sobretudo das castas tintas Vinhão e Borraçal. As temperaturas são mais elevadas e há menor circulação de ar, proporcionando excelentes condições para obter maturações mais elevadas, conferindo aos vinhos tintos uma cor mais carregada, boa graduação e óptima acidez.